Porque a Dopamina Faz Você Sentir-se Feliz

A Dopamina é um dos neurotransmissores com função determinante no equilíbrio das funções emocionais, motoras e até hormonais.

Confira 11 fatos que você precisa saber sobre a dopamina.

Fato #1

A dopamina é um neurotransmissor com características excitatórias, portanto participa de funções psíquicas ligadas, por exemplo, ao estado de alerta, entre outras, favorecendo a manutenção da atenção e percepção do ambiente.

Fato #2

A dopamina é o neurotransmissor ligado ao prazer, sendo que todas as vezes que ela é liberada em uma região do cérebro chamada de núcleo accumbens, obtemos uma sensação de prazer que pode variar desde uma simples satisfação, ao prazer intenso, como é o caso de um orgasmo, por exemplo.

Fato #3

A dopamina é liberada sempre que percebemos uma “saliência ambiental”, ou seja, alguma coisa que seja diferente do que estamos acostumados no nosso dia a dia, e por isso que viajar e ir a lugares diferentes nos dá tanto prazer.

Fato #4

Uma experiência clássica é implantar um eletrodo dentro do núcleo accumbens (região responsável pelo prazer, aonde a dopamina age) de um rato de laboratório, e dar a ele a capacidade de auto estimulação através de uma alavanca. A cobaia  fica sem comer nem beber para permanecer pressionando a tal alavanca e obtendo pulsos de prazer. 

Fato #5

Drogas com efeito excitante tipo anfetamina, cocaína, provocam a liberação direta da dopamina no núcleo accumbens, e por isso causam tanta dependência. Outras drogas tipo a maconha e o próprio álcool provocam essa ação de maneira indireta, mas nem por isso a dependência seria menor.

Fato #6

Obter prazer é fundamental para a vida, o que pode ser conseguido através de atividades consideradas saudáveis (esporte, sexo, comer e beber moderadamente). Porem determinados indivíduos perdem o controle e se tornam viciados nessas atividades, numa forma desesperada de combater a sensação de tédio, que é o sentimento inverso ao prazer.

Fato #7

Alguns distúrbios psiquiátricos e neurológicos estão relacionados diretamente a deficiência da dopamina: O distúrbio de atenção e hiperatividade, a síndrome das pernas inquietas, o sonambulismo, que podem afetar bastante a qualidade de sono dos pacientes causando quadro depressivo de difícil tratamento.

Fato #8

O ferro participa diretamente da produção da dopamina, de modo que pessoas com baixa ingestão (veganos), baixa absorção (uso de antiácidos ou com cirurgia bariátrica), ou que sofrem com excesso de sangramento no período menstrual, podem apresentar distúrbio decorrente da baixa produção da dopamina.

Fato #9

A dopamina é fundamental para a atividade sexual, influenciando diretamente a produção dos hormônios envolvidos, bem como o orgasmo e o prazer. Substâncias que afetam os estoques ou bloqueiam os receptores da dopamina podem, por isso, afetar a sexualidade, como é o caso da cocaína, e mesmo de certas medicações de uso em psiquiatria.

Fato #10

A deficiência da dopamina pode estar ligada a certos tipos de depressão, que tem como sintomas a falta de prazer, de atenção, e de motivação. Esses quadros podem ser denominados de depressão atípica, uma vez que podem piorar com o uso de antidepressivos que aumentam o nível de serotonina, quer por sua vez pode ter uma relação indireta com a dopamina.

Fato #11

O excesso de liberação de dopamina sobre o núcleo do prazer no cérebro pode provocar também, sintomas paranoides (sensação de perseguição) e de agressividade, o que explicaria os distúrbios de comportamento decorrente do abuso de drogas estimulantes.

Publicado por Dr. Sergio Klepacz

Dr. Sergio Klepacz CRM 39099 – Médico psiquiatra desde 1983 pela Santa Casa de São Paulo, mestrado em psicofarmacologia pela Unifesp. Diretor da clinica TotalBalance Medicina Integrada.

Deixe uma resposta